MOMO - 2019.jpeg

MOMO dá concerto no Teatro Bocage a 29 novembro às 21h30

“I Was Told To Be Quiet”

O cantor e compositor Momo, alcunha musical de Marcelo Frota, tem no seu grupo de seguidores nomes como Patti Smith e David Byrne, que chegaram a partilhar a sua música em playlists e murais de Facebook. Camané é um dos mais recentes fãs confessos deste brasileiro que escolheu Portugal para viver: “Para além de amigo do Marcelo, fiquei fã da música do Momo. Passei a ouvir os seus discos em casa e a assistir aos seus concertos. É um excelente letrista, com sensibilidade para retratar o quotidiano, em especial, o de Alfama, onde viveu durante este último ano. É esse bairro – pelo qual o Momo é mais apaixonado do que a maioria dos portugueses – que dá nome à canção que me convidou para cantar com ele”, conta o fadista.

 

“Voá” foi editado pela Universal no final de fevereiro de 2017. “Pensando Nele”, em parceria com o escritor e poeta Thiago Camelo, acabou por ser escolhido como primeiro single de um disco produzido por Marcelo Camelo. O quinto trabalho de originais inclui ainda colaborações com Rita Redshoes no tema “Mimo” e do compositor brasileiro Wado em “Nanã”.

 

Momo lançou “A Estética do Rabisco” (2006), “Buscador” (2008), “Serenade of a Sailor” (2011) e “Cadafalso” (2013). Os quatro mereceram o aplauso da imprensa internacional e o reconhecimento de publicações de referência do Brasil como O Globo que escolheu “Serenade of a Sailor” para ombrear com discos de Chico Buarque e Criolo nas escolhas para melhores trabalhos de 2011. O canal de televisão Multishow também distinguiu Momo com um prémio revelação no mesmo ano.

 

O artista integra a colectânea “A Tribute to Caetano Veloso” com a música “Alguém Cantando”, ao lado de nomes como Rodrigo Amarante, Beck, Ana Moura e Marcelo Camelo, entre outros. Juntamente com Wado e Cícero, Momo gravou em Lisboa em 2013 o trabalho “O Clube” que celebrou o encontro dos três brasileiros com os artistas portugueses Fred Ferreira (Banda do Mar, Orelha Negra), Diego Armés (Feromona, Chibazqui), Bernardo Barata (Diabo na Cruz) e Alexandre Bernardo (Laia).

O próximo disco chega em outubro de 2019. “I Was Told To Be Quiet” foi gravado e produzido na Califórnia por Tom Biller (Sean Lennon, Warpaint, Liars, Silversun Pickups e Kate Nash).

 

Links:

 

https://momomusic.net/

 

www.facebook.com/momooficial

 

www.momomusica.bandcamp.com

 

Vídeos:

 

Higher Ground

 

Nanã

 

Pensando Nele

 

Uu

 

Cadafalso

 

Sozinho

MOMO na imprensa

 

"Voá é uma resposta a esse 'antigo' e sombrio Momo, que vem agora cheio de groove, algumas letras esperançosas e uma atmosfera solar."

Lucas Brêda

Rolling Stone Brasil, Abril 2017

 

“O cuidado com o canto e com a poética, mais a ambiência de delicadeza do disco remetem a alguns LPs da MPB dos anos 1970, que buscavam a partir do samba envolver o ouvinte numa brisa de FM na alta madrugada. (…) ‘Voá’ é disco para deixar o ouvinte cheio de perguntas: de onde veio, para onde vai? E principalmente: como é que eu nunca tinha ouvido esse tal de Momo antes?”

Silvio Essinger

O Globo, 14 Abril 2017

 

“O que é também notório no disco é a preponderância de temas envolventes, servidos pela voz melodiosa de Momo, nos quais se evidenciam reflexões pessoais, bem como toadas nocturnas, inspiradas na cidade de Lisboa, onde actualmente reside. (…) Voá é, em suma, um bom trabalho, que compatibiliza a reflexão e o optimismo.”

Pedro Salgado

Sábado, 30 Março 2017

 

“Momo (Marcelo Frota) é ele próprio um cidadão do mundo, mineiro de nascimento, em Alfama há um ano, com passagem por vários pontos do globo. A sonoridade, mais luminosa e complexa que a dos seus quatro discos anteriores, deve-a à produção de outro brasileiro de Lisboa, Marcelo Camelo. Uma música ondulante, quase dançante, assente numa poética introspectiva e melodias planantes. Bem bonito.”

Manuel Morgado

Time Out, 08 Março 2017

“Durante décadas, a música brasileira colheu enorme aceitação em Portugal, mas há uma nova geração a reforçar os laços e a procurar refúgio (e inspiração) em Lisboa. (…) Os créditos da produção são atribuídos ao hermano Marcelo Camelo mas a luz ninguém a (a)paga e é um dos motivos porque dizem do Brasil que ‘Voá’ é todo ele céu limpo, quando o irmão mais velho ‘Cadafalso’ se resguardava atrás do sol posto.”

Davide Pinheiro

Jornal I, 16 Fevereiro 2017

 

“Apesar da omnipresença do oceano (evocado logo na abertura, com ‘Esse Mar’), a voz de Momo é mais telúrica, vestindo na perfeição canções que seduzem tanto quando se mostram delicadas (‘Pensando Nele’) como quando abanam a anca tropical (‘Mimo’, escrita com Rita Redshoes). ‘Alfama’, dueto com Camané, seu fã confesso, ‘Meu Menino’ ou ‘Roseiras’ são já algumas das mais gratas surpresas de 2017.”

Lia Pereira

Blitz, 01 Fevereiro 2017

mail@teatrobocage.com  |    91 244 9909

Teatro Bocage @ 2016

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now